Abel Tasman Coast Track (ou a trilha das marés)

O que é?

A Abel Tasman Coast Track é uma trilha costeira de aproximadamente 60km e que pode ser feita de 3 a 5 dias. Situada no menor parque nacional da Nova Zelândia, o Abel Tasman National Park, passa por várias praias paradisíacas e quase desertas, além de oferecer estadias em campings e huts (cabanas) relativamente bem equipados. São ao todo 23 opções de estadia durante a trilha: 19 para se aproveitar com a própria barraca e outros 4 com acomodações parecidas com as de albergues, ou seja, beliches em quartos compartilhados.

Por ser uma trilha de muitos dias, ela não é para qualquer um. Exige-se um bom preparo físico e mental, incluindo um desapego à higiene básica, pois dependendo da hospedagem, o banho é de canequinha e com água fria.

Por outro lado, os principais campings oferecem água potável e uma cozinha, onde o trilheiro usa seus próprios equipamentos para preparar suas refeições.

Outro ponto sobre a hospedagem é que, antes de começar a trilha, todos os campings e huts em que você pretende ficar devem ser reservados (uma exigência do Department of Conservation). Todo camping tem um funcionário responsável que passa de barraca em barraca verificando a reserva para aquele dia. Para reservar, basta entrar site do Departamento e pagar com cartão de crédito. Se estiver planejando uma trilha na alta temporada, reserve com bastante tempo de antecedência, pois os lugares se esgotam rapidamente.

Em quantos dias fazer?

Embora seja possível apertar bastante o passo e concluir toda a trilha em 3 dias, é muito mais prazeroso completá-la em 5, pois desse modo se tem tempo para parar nas belas praias para tomar um sol ou entrar nas águas cristalinas (vale muito a pena, mesmo que a temperatura da água não seja nenhum Nordeste brasileiro...).

Transporte

O sentido mais habitual para se percorrer a Abel Tasman Coast Track é aquele que nós fizemos: de Marahau a Wainui. Para chegar a Marahau, começo da trilha, pegamos um ônibus de Nelson, onde estávamos hospedados. Existem algumas empresas que oferecem esse serviço. Optamos pela Abel Tasman Coachlines, que passava às 7h15 da manhã na porta do nosso albergue e nos levava direto a Marahau. A reserva e pagamento foram feitos pela internet, no site deles: http://www.abeltasmantravel.co.nz.

Quando se termina a trilha, tipicamente em Wainui, o transporte de volta para Nelson é feito pela Golden Bay Coachlines. Também é possível reservar pelo site http://goldenbaycoachlines.co.nz. O caminho de volta é um pouco mais longo, mas você estará tão cansado que não irá perceber o tempo passar.

Mas e a trilha???

Depois de todo esse preâmbulo, como é afinal a trilha? É assim:

- Tem praias de águas límpidas

- Tem gente passeando de caiaque​

(Uma possibilidade é também fazer a trilha de caiaque, mas não vamos entrar nos detalhes nesse post)

- Tem travessia de alguns trechos só quando a maré está baixa

- Tem pontes suspensas

- Tem farofada

- Tem acampamento com vista pro mar

Detalhes

Se você leu até aqui, você realmente está interessado e talvez queira mais do que fotos bonitinhas. A verdade é que a Abel Tasman Coast Track é uma trilha super bem sinalizada, com campings bem estruturados e, claro, muito segura. O caminho a ser percorrido está bem descrito no panfleto oficial do Department of Conservation. que sugere 5 dias de percursos de 12km aproximadamente cada um, parando nos campings principais, que possuem água tratada. Só existe um detalhe de fato que o panfleto menciona, mas não dá muita ênfase, que é o seguinte: as marés.

Existem vários trechos da trilha influenciados pelas marés: em alguns casos, corta-se um grande caminho atravessando baías na maré baixa, em outros, a maré alta pode bloquear completamente seu avanço. Temos então duas dicas a esse respeito:

1) Tenha uma cópia da tabela de marés para saber quando atravessar.

2) Se puder, leve um sapato de praia. Sabe aquelas botinhas de neoprene e solado mais duro? Então, elas quebram um galhão. Na maré baixa, o solo marinho fica completamente exposto, e está repleto de conchas. Repleto mesmo, como um tapete. Não, não é um exagero.

Mas apesar de exposto, ainda existem algumas partes em que você terá de molhar o pé. Uma opção é tirar o sapato. Mas pra que arriscar cortar o pé em alguma concha e estragar o passeio? Solução: sapato de praia. Ele te protege das conchas e pode molhar que seca rapidinho.

E vale a pena?

Passamos 5 dias fantásticos, vendo paisagens incríveis que não veríamos e tendo experiências diferentes que não teríamos se tívéssemos feito um passeio de um dia para uma das praias (aliás opção válida e recomendada para quem não quer ou não pode fazer a trilha). Mas como já falamos, e como diria Milton Nascimento, é preciso ter força, é preciso ter raça, é preciso ter gana sempre! Mas vale cada passo!

#NovaZelândia #trilha #AbelTasman #IlhaSul