Salzburg em 48 horas

Vai passar dois dias em Salzburg e não sabe por onde começar? Vamos dar uma forcinha e algumas ideias. De cara, já dizemos que a cidade é encantadora, tem um monte de atrações bacanas e que, para sua (e nossa) felicidade, pode sim ser explorada em 48 horas.

Uma das principais dicas é o Salzburg Card. No centro de informações turísticas, é possível comprar esse cartão, que garante entrada gratuita para a maioria dos lugares. Com ele, você também pode usar o transporte público sem pagar nada, o que possibilita mais flexibilidade (embora a cidade seja pequena e dê para visitar quase tudo a pé). Há opções de 24, 36 e 48 horas e a validade conta a partir da compra, ou seja, pegamos o cartão às 12h de um dia e pudemos utilizá-lo até às 12h do outro. Nós escolhemos o de 24 horas, que nos custou 27 euros (muito menos do que pagaríamos por todos os lugares que visitamos na cidade).

Agora que você já sabe sobre o Salzburg Card, vamos sugerir um local que adoramos para começar o dia: o café 220 Grad. Fomos lá uma manhã e gostamos tanto que repetimos no dia seguinte. Há excelentes opções de cafés, muito bem feitos, e comidas deliciosas, como ovos mexidos com aspargos. Os chás também são saborosos e servidos em bules super charmosos.

O bule super charmoso, a ampulheta interessante e o bolo de chocolate gluten free. Tudo no café 220 Grad

Depois de um café da manhã reforçado, partimos rumo ao forte Hohensalzburg com nosso Salzburg Card. Subimos de funicular, que data 1892, e de lá tivemos uma vista bonita da cidade. Infelizmente estava chovendo, mas imaginamos que em um dia de sol o cenário seja espetacular. Visitamos também o museu do forte com o nosso ticket vale-tudo e, depois, demos uma volta pela cidade velha.

O forte Hohensalzburg visto da cidade

A catedral de Salzburg possui um estilo barroco bem bonito e, próximo a ela, está a igreja franciscana e um pequeno cemitério todo ajeitado que merece ser visitado. A praça Mozart também é lindíssima. Nela está o Museu de Salzburg, que conta a história da cidade de uma maneira interativa e bem didática, uma estátua do músico e muitos predinhos medievais, além de restaurantes.

Interior da catedral de Salzburg

Visitamos também as duas casas do Mozart, que hoje em dia abrigam museus. O compositor nasceu em 1756 em uma residência bem confortável na rua Getreidegasse e lá viveu por 17 anos. Desde a infância, já foi reconhecido como um músico prodígio e, incentivado pelo pai, viajou bastante pela Europa por causa da música. Na realidade, Mozart passou 1/3 da sua vida em viagens. Sua história é bastante interessante e os dois museus mostram pontos de vistas distintos, então, se você puder, vale a pena ir nas duas atrações.

A segunda casa em que Mozart morou na cidade de Salzburg

Para dar uma pausa dos museus e igrejas, uma sugestão é visitar a fábrica da cerveja Stiegl, que fica a um quilômetro do centro (dá para ir a pé ou de ônibus). Além de mostrar o processo de fabricação antiga da cerveja, o ticket de entrada possibilita a degustação de três cervejas distintas no restaurante do local, que é bacana.

Degustação de cervejas na fábrica da Stiegl. Prost!

Em um dos nossos dias à noite, quando quase todas as atrações do Salzburg Card já estavam fechadas, fomos até o Monchsberglift, um elevador que sobe até um terraço de onde se tem uma vista panorâmica da cidade. Foi para fechar o dia com chave de ouro!

Vista panorâmica de Salzburg com chuva

#Áustria #Salzburg #Europa #cidade #cerveja

© 2015 - 1 Mundo, 1 Lua de Mel <3

  • b-facebook
  • Instagram Black Round