Ilhas croatas: Korčula e Hvar

Verão europeu combina com muito sol, céu azul, saltos a partir de rochas (de todos os tamanhos e para todos os medos) nas águas cristalinas, mergulhos... Pelo menos é assim nas ilhas croatas. Um paraíso que visitamos por uma semana e que, com certeza, queremos repetir!

Korčula

A duas horas de balsa de Dubrovnik (pegamos uma ferry da empresa Nona Ana que custou 110 kunas por pessoa), a ilha, que já pertenceu aos venezianos e foi onde Marco Polo veio ao mundo, é um destino encantador e cheio de (boas) surpresas.

Entrada da cidade murada de Korčula, local onde nasceu o navegador Marco Polo

O centro histórico de Korčula, que em português se pronuncia "Kórtiula", é um charme. Com características de uma cidadela medieval e rodeado pelo mar - entenda cantinhos de água cristalina onde é possível dar belos mergulhos, o local não é tão cheio de turistas como o centro de Dubrovnik, o que o torna ainda mais autêntico e aprazível.

Para nadar em volta da muralha, é só pegar uma das várias escadinhas e pronto: você já pode saltar!

Uma das marcas de Korčula é a figura do Marco Polo. É possível visitar a casa em que o navegador nasceu, além de aprender mais sobre sua história em um museu dedicado a ele.

Em um dos nossos dias pela ilha, exploramos a cidade de Lumbarda. Fomos a pé até lá em um trajeto de uns 5 quilômetros. E depois da caminhada fomos agraciados com o paraíso. Lumbarda tem muito verde, praias, várias pequenas ilhas e muitas videiras.

Como as duas praias de areia estavam lotadas, decidimos ficar em um espaço de pedras com um pedacinho do mar só para gente. Aproveitamos ainda para nadar até uma ilhota à frente e curtir mais um pouquinho do sol a dois.

Nós dois nadando pelas águas cristalinas de Lumbarda

Diferentemente da região croata da Dalmácia, que é famosa por seus vinhos tintos, em Korčula se cultiva a uva Grk, responsável pela produção de vinho branco.

Visitamos a vinícola Bartul Cebalo, onde fizemos uma degustação de 5 vinhos por 50 kunas por pessoa. E tudo com uma paisagem de várias plantações e até um trechinho do mar!

Degustação de vinhos em Lumbarda. A especialidade é o vinho branco da uva Grk!

Depois de três dias curtindo Korčula, pegamos uma ferry da empresa Jadrolinija e partimos rumo a Hvar.

Hvar

Hvar (pronuncia-se "Ruar" em português) é um lugar de baladas. Assim como Ibiza e Mykonos, o local é cheio de jovens, música alta e festas que vão até o amanhecer. Mas isso é apenas em Hvar Town, a cidade principal da ilha.

A 18 quilômetros de Hvar Town e a 27 kunas de ônibus, está a cidade mais antiga da Croácia e uma das mais velhas da Europa: Stari Grad, que é muito mais calma que sua vizinha baladeira.

Como queríamos mais tranquilidade, optamos por uma hospedagem em Stari Grad e ficamos bem satisfeitos com nossa escolha. Pudemos andar sem rumo pelas suas belas ruelas, entrar em igrejas super antigas e mergulhar em águas transparentes.

Stari Grad é a cidade mais antiga da Croácia e uma das mais velhas da Europa

Mas não deixamos de conhecer as principais atrações de Hvar Town: a praça de Santo Estevão e a fortaleza Spanjola no topo da montanha, construída em 1278 pelos venezianos (e reconstruída muitas vezes depois).

Vista do topo da fortaleza de Hvar Town

Hvar está pertinho de várias outras ilhas e é possível fazer um passeio de barco para conhecer as principais atrações próximas.

Como os preços são meio salgados, optamos por fazer apenas um tour, mas que durou o dia todo e nos levou a lugares sensacionais! O valor total do passeio, por pessoa, ficou por 570 kunas.

Saímos às 10h30 do porto de Hvar Town e, depois de uma hora em uma lancha, digamos, com bastante emoção (sentamos na parte da frente e tivemos que nos segurar a maioria da viagem porque o barco balançava demais, mas sempre apreciando vistas esplêndidas), chegamos na primeira parada: a gruta verde (green cave).

Passeio de barco pelas ilhas próximas de Hvar

A gruta verde é uma caverna com águas límpidas e que fica cheia de barquinhos de turistas. Aproveitamos a parada para nadar um pouco com os snorkels fornecidos pelo nosso barco.

A segunda parada foi a gruta azul (blue cave). Considerado patrimônio mundial da UNESCO, o lugar é realmente muito lindo! Tivemos que pegar um outro bote até lá e abaixar bastante na entrada, visto que o buraco de passagem para a gruta (que foi aberto com uma dinamite) é bem baixinho e estreito.

Quando entramos no local, fomos surpreendidos por águas beeeem azuis. Isso ocorre porque uma das rochas possui um buraco que proporciona iluminação natural à água. Um espetáculo da natureza!

Na gruta azul não existe iluminação artificial. Um espetáculo da natureza!

De lá, partimos para um outro lugar com penhascos rochosos e ficamos fazendo uma das coisas que mais gostamos na Croácia: saltar, saltar e saltar para cair nas águas cristalinas.

Preparo para o salto nas belas águas do mar Adriático

Por fim, visitamos ainda uma outra ilha, onde fizemos nosso piquenique à beira-mar e fechamos o passeio (e a viagem às ilhas) com chave de ouro!

#Croácia #ilhascroatas #Hvar #Korcula #Lumbarda