O que fazer no Porto?

Desbravar o Porto, em Portugal, significa ver igrejas decoradas com muito ouro, admirar edifícios cheios de azulejos, comer extremamente bem e beber vinho do Porto. Para fazer tudo isso com calma, o ideal é dedicar uns 3 ou 4 dias para a segunda maior cidade portuguesa. Começamos nosso roteiro pela avenida dos Aliados, que é a principal do município. Bem ao centro, há uma estátua de D. Pedro IV que, para nós, brasileiros, é conhecido como D. Pedro I, visto que foi o 1º imperador do Brasil.

Nós na Avenida dos Aliados com a Câmara Municipal ao fundo

Ao fundo da avenida está o suntuoso prédio da Câmara Municipal. Vale entrar para dar uma olhada geral. E logo atrás do edifício do governo fica a Igreja da Trindade que, como a maioria das igrejas do Porto, possui muito ouro em sua decoração interna. De lá, partimos para o Mercado do Bolhão, que funciona como um mercadão de frutas, legumes e peixes. Demos uma espiada (não é nada demais), e continuamos nosso passeio pelas ruas do centro. Passamos pelo famoso Café Majestic, um dos mais tradicionais do Porto, e seguimos reto para a bela igreja de Santo Ildefonso, que é bem barroca, tem vários azulejos em sua fachada e muito ouro na parte interna - grande parte vinda do Brasil. A igreja e a torre dos Clérigos são paradas obrigatórias para quem visita a cidade. Compramos um ticket combinado com a Catedral da Sé e, para conhecer os três lugares, pagamos 5 euros por pessoa. No topo da torre há uma vista panorâmica bonita do Porto, então vale o esforço de subir.

Subir na Torre dos Clérigos é um passeio que vale muito a pena!

Existe um ticket combinado para entrar na Torre dos Clérigos e visitar a Catedral da Sé

Pertinho dos Clérigos está um lugar que adoramos: a Casa Portuguesa do Pastel do Bacalhau. Dá para ver que é algo super turístico, mas achamos os produtos gostosos e tivemos uma experiência bem aprazível. Provamos um bolinho de bacalhau com queijo português da Serra da Estrela e, como acompanhamento, bebemos um vinho do Porto branco.

O pastel de bacalhau recheado com queijo da Serra da Estrela: hmmmm!​ Do outro lado da torre fica a livraria Lello. Além de possuir uma arquitetura maravilhosa, o lugar serviu de inspiração para a criação do Harry Potter. J.K. Rowling morou no Porto por dois anos e, durante sua estadia na cidade, costumava frequentar a livraria. Para entrar, paga-se 3 euros, mas esse valor pode ser descontado na compra de um livro.

A livraria Lello serviu de inspiração para J.K. Rowling escrever Harry Potter​ Bem próximo da mágica livraria estão duas igrejas coladas e muito bonitas: Carmo e Carmelitas. Ambas ficam na Praça de Gomes Teixeira, que também abriga a Universidade do Porto.

Azulejos na lateral da Igreja do Carmo

A igreja de São Francisco foi o templo religioso com mais ouro que vimos em todo o Porto (e olha que a disputa é acirrada, viu?). Pagamos 4 euros por pessoa para conhecer o museu e a igreja e gostamos bastante.

Dentro da igreja de São Francisco há muuuito ouro vindo do Brasil

​ Até 1496, muitos judeus habitavam no Porto, porém, na ocasião foi decretado que eles deveriam se converter ou ir embora da cidade e, atualmente, a rua de São Bento da Vitória conta um pouco desta história. O mosteiro de São Bento da Vitória expõe uma placa explicando um pouco deste passado brutal. Entramos no mosteiro, que hoje ė um teatro, e decidimos participar de uma visita guiada, que ocorre diariamente às 12h e custa 3 euros por pessoa. Tivemos uma grande surpresa! O espaço é lindíssimo e nosso guia foi um português muito simpático. Logo no final da rua fica o mirante Vitória, que proporciona uma bela vista da cidade. Não chegamos a deslumbrar o lugar no pôr-do-sol, mas dizem que é bacana.

​Do mirante da Vitória dá para ver a Catedral da Sé o rio Douro Comemos extremamente bem nos dias em que estivemos no Porto e um dos lugares mais charmosos para almoçar ou jantar é o Cais da Ribeira. Nas margens do rio Douro, há vários restaurantes bem saborosos. E não esqueça: para acompanhar a sobremesa, peça um vinho do Porto! 😊

O cais da Ribeira fica na margem do rio e é cheio de bons restaurantes

Por falar em vinhos, do outro lado do rio estão as “caves” que armazenam os vinhos. Elas se encontram bem próximas do rio Douro porque, historicamente, era de lá que saíam os barcos exportadores para o mundo todo. Fizemos uma visita guiada na Sandeman, que nos custou 7 euros por pessoa. O passeio durou uns 40 minutos e a guia nos explicou um pouco mais sobre a produção do vinho do Porto. No final, ainda degustamos duas taças. O Porto é uma cidade relativamente pequena e, por isso, fizemos tudo citado até agora a pé. No nosso último dia, decidimos conhecer duas atrações um pouco mais remotas e, por isso, pegamos o metrô. Visitamos a Casa da Música e o Palácio de Cristal, sendo que este último fica em um parque com o letreiro “Porto” prontinho para ser fotografado com o turista.

​Onde está a Iza? Como fomos embora da cidade de avião, pegamos um metrô na estação São Bento, que é a principal da cidade. Até nossa despedida do Porto foi por um lugar bonito, pois a estação é cheia de belos vitrais e azulejos. Adoramos!

#Europa #Portugal #Porto #vinho

© 2015 - 1 Mundo, 1 Lua de Mel <3

  • b-facebook
  • Instagram Black Round